Osteopatia no tratamento de enxaquecas

Quem nunca sofreu com uma forte dor de cabeça? De acordo com a Sociedade Brasileira de Cefaleia (SBCe), pouca gente. Estima que 95% da população apresentará, ao longo de sua vida, ao menos um episódio de dor cabeça. Embora muito comum, sentir dores de cabeça não é normal, sobretudo quando o problema chega a comprometer a qualidade de vida, como é o caso de quem sofre de enxaquecas. No Brasil, o problema atinge cerca de 20% das mulheres e 9,3% dos homens. Também não são raros casos de pessoas que buscam há anos o alívio da dor, tendo recorrido a diversos especialistas e tratamentos medicamentosos, mas sem sucesso. Isso acontece porque, muitas vezes, a dificuldade está em encontrar a causa do problema. É aí que entra a osteopatia, tratamento que entende a doença como uma consequência do desequilíbrio do corpo e tem como objetivo principal estimular a autocura do paciente. Entre os principais sintomas são: dores locais nos olhos, pescoço, rosto ou testa. Na cabeça: aguda(o), frequente, forte ou latejante. Na visão: perda de visão periférica, visualização de flashes luminosos, visualização de pontos, visão distorcida ou visão embaçada. No corpo: fadiga, mal-estar, tontura ou vertigem, formigamento, sensibilidade à luz ou sintomas visuais ou sensitivos. No aparelho gastrointestinal: náusea ou vômito. Também é comum: ansiedade ou irritabilidade. A Osteopatia busca através de técnicas manuais corrigir a causa primária das disfunções do corpo e reestabelecer o equilíbrio do sistema. Se familiarizou com algum desses sintomas?

Agende sua consulta!